visitantes desde Abril 2011

free counters

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Oração de Agradecimento – Amália Rodrigues e Divaldo Franco

AGRADECEMOS-TE SENHOR, PELA GLÓRIA DE VIVER




PELA HONRA DE AMAR!



MUITO OBRIGADA SENHOR, PELO QUE ME DESTE, PELO QUE ME DÁS!



MUITO OBRIGADA PELO PÃO, PELO AR, PELA PAZ!



MUITO OBRIGADA PELA BELEZA QUE MEUS OLHOS VÊEM



NO ALTAR DA NATUREZA!



OLHOS QUE FITAM O AR, A TERRA E O MAR.



QUE ACOMPANHA A AVE FAGUEIRA QUE CORRE LIGEIRA PELO CÉU DE ANIL,



E SE DETÉM NA TERRA VERDE SALPICADA DE FLORES



EM TONALIDADES MIL!



MUITO OBRIGADA SENHOR PORQUE EU POSSO VER O MEU AMOR!



DIANTE DE MINHA VISÃO, PELOS CEGOS, FORMULO UMA ORAÇÃO.



EU SEI QUE DEPOIS DESTA LIDA, NA OUTRA VIDA,



ELES TAMBÉM ENXERGARÃO!



OBRIGADA PELOS MEUS OUVIDOS QUE ME FORAM DADOS POR DEUS.



OUVIDOS QUE OUVEM O TAMBORILAR DA CHUVA NO TELHEIRO,



A MELODIA DO VENTO NOS RAMOS DO SALGUEIRO,



AS LÁGRIMAS QUE CHORAM OS OLHOS DO MUNDO INTEIRO.



DIANTE DE MINHA CAPACIDADE DE OUVIR, PELOS SURDOS, EU TE QUERO PEDIR;



EU SEI QUE DEPOIS DESTA DOR, NO TEU REINO DE AMOR,



ELES TAMBÉM OUVIRÃO!



MUITO OBRIGADA SENHOR PELA MINHA VOZ



MAS TAMBÉM PELA VOZ QUE CANTA, QUE ENSINA , QUE ALFABETIZA;



QUE CANTA UMA CANÇÃO E TEU NOME PROFERE COM SENTIDA EMOÇÃO!



DIANTE DA MINHA MELODIA QUERO TE ROGAR PELOS QUE SOFREM



PELOS QUE SOFREM DE AFASIA, PELOS QUE NÃO CANTAM DE NOITE



E NÃO FALAM DE DIA.



EU SEI QUE DEPOIS DESTA DOR, NO TEU REINO DE AMOR,



ELES TAMBÉM CANTARÃO!



MUITO OBRIGADA SENHOR PELAS MINHAS MÃOS!



MAS TAMBÉM PELAS MÃOS QUE ORAM, QUE SEMEIAM, QUE AGASALHAM.



MÃOS DE AMOR, MÃOS DE CARIDADE E SOLIDARIEDADE.



MÃOS QUE APERTAM AS MÃOS. MÃOS DE POESIA,



DE CIRURGIA, DE SINTONIA, DE SINFONIA, DE PSICOGRAFIAS…



MÃOS QUE ACALENTAM A VELHICE, A DOR E O DESAMOR!



MÃOS QUE ACOLHEM AO SEIO DO CORPO, UM FILHO ALHEIO, SEM RECEIO.



PELOS MEUS PÉS, QUE ME LEVAM A ANDAR SEM RECLAMAR.



MUITO OBRIGADA SENHOR, PORQUE POSSO BAILAR!



OLHO PARA A TERRA E VEJO AMPUTADOS,



MARCADOS, DESESPERADOS, PARALISADOS…



EU POSSO ANDAR!!! ORO POR ELES.



EU SEI QUE DEPOIS DESSA EXPIAÇÃO,



NA OUTRA REENCARNAÇÃO, ELES TAMBÉM BAILARÃO.



MUITO OBRIGADA SENHOR, PELO MEU LAR!



É TÃO MARAVILHOSO TER UM LAR…NÃO IMPORTA SE ESTE LAR É UMA MANSÃO,



UM BANGALÔ SEJA LÁ O QUE FOR!



IMPORTANTE É QUE DENTRO DELE EXISTA AMOR.



O AMOR DE PAI, DE MÃE, DE MARIDO E ESPOSA,



DE FILHO, DE IRMÃO…



DE ALGUÉM QUE LHE ESTENDA A MÃO,



MESMO QUE SEJA O AMOR DE UM CÃO,



POIS É TÃO TRISTE VIVER NA SOLIDÃO!



MAS SE NÃO TIVER NINGUÉM PARA AMAR, UM TETO PRA ME ACOLHER,



UMA CAMA PARA ME DEITAR… MESMO ASSIM, NÃO RECLAMAREI,



NEM BLASFEMAREI. SIMPLESMENTE DIREI:



OBRIGADA SENHOR, PORQUE NASCI.



OBRIGADA SENHOR, PORQUE CREIO EM TI.



PELO TEU AMOR, OBRIGADA SENHOR!


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Chegaste ao término de vossos trabalhos neste ano. A persistência no bem é a arma certa no combate ao mal.





Chegaste ao término de vossos trabalhos neste ano.


Desejo felicitar aqueles que perseveraram até o fim, pois não foi pouco o assédio que sofrestes. A persistência no bem é a arma certa no combate ao mal.


Quando assim vos falo, refiro-me não somente aos ataques do plano negativo espiritual, talvez em maior escala, senão também às injunções de ordem social.


Não raras vezes surpreendo-vos pensando na pouca produção deste ano e assim parece, porque vossos olhos materiais não podem ver além da matéria.


Muitas coisas se realizaram no sentido do bem. O que julgais que represente, quando vos reunis em prece, todos com uma mesma finalidade, pedindo auxílio, irradiando saúde e bem estar espiritual para os infelizes?


Auxiliados pelos orientadores e protetores destes trabalhos muito fizestes, aliás, mais do que podeis imaginar...


Recomendo-vos que não esmoreçais com o descanso.


Aproveitai-o para renovar vossas forças a fim de que no próximo ano todos vós estejais aqui, unidos e preparados para novas tarefas, novos encargos dentro desta casa, que deve ser um segundo lar, porém, o lar espiritual, o lar que satisfaz vossos espíritos.


Permaneça firme e duradoura a vossa fé, a qual deverá ser mostrada pelas vossas atitudes e ações.


Tende sempre presente, em vossas mentes, a responsabilidade que assumistes como portadores do rótulo de cristãos.


Exemplificai como tal. Tomai como exemplo o Apóstolo dos Gentios que vos deliciou esta noite, com tão bela lição, prova evidente da renovação das criaturas.


Na data feliz do Natal, possais todos vós sentir alegria em vossos corações. Jesus nasça em vossas almas e permaneça convosco como elemento indispensável à manutenção do equilíbrio do espírito.


Despeço-me, repetindo, nesta noite, aquelas palavras que ecoaram nos céus de Belém: “Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade”.

Francisco Spinelli



Normal ...2012 não vai ser diferente, mas podemos fazer com que as coisas sejam melhores


O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho.



É viver cada momento e construir a felicidade aqui e agora.


Claro que a vida nos prega peças:


O bolo não cresce, o pneu fura, chove demais (Perdemos pessoas que amamos)...


Mas, pensa só: Tem graça viver sem rir de gargalhar, pelo menos uma vez ao dia?


Tem sentido estragar o dia por causa de uma discussão na ida pro trabalho?


Eu quero viver bem... e você?


2012 será um ano cheio. Cheio de coisas boas...


mas também de problemas e desilusões, tristezas, reencontros.


Normal.. Às vezes, se espera demais.


A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou.


Normal ...2012 não vai ser diferente, mas podemos fazer com que as coisas sejam melhores


Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições,...


a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas, e aí?


Fazer o quê?


Acabar com o seu dia?


Com seu bom humor?


Com sua esperança?


O que eu desejo para todos nós é sabedoria.


E que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência...


O nosso desejo não se realizou?


Beleza... Não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa para esse momento...


Nada melhor do que sonhos para se construir a realidade....


Chorar de dor, de solidão, de tristeza faz parte do ser humano...


Mas, se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes.


Desejo para todo mundo esse olhar especial!


2012 pode ser um ano especial, se nosso olhar for diferente.


Pode ser muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso.


Somos fracos, mas podemos melhorar...


Somos egoístas, mas podemos entender o outro...
Somos sinceros, leais, honestos e assim podemos continuar!


2012 pode ser o bicho, o máximo,maravilhoso, lindo, especial!


Depende de mim... de você.


Pode ser... e que assim então seja!


E será, com certeza!!!


Deixemos de lado nossas desavenças, brigas e vivamos a vida neste 2012.
Saúde, sucesso, progresso, amor, paz pra todos nós!!!

FELIZ NATAL E UM MARAVILHOSO 2012 A VOCE E SUA FAMILIA COM CARINHO !!!!
ABRAÇOS.
Chaiane Vencato

ALÉM DA MORTE


Cumprida mais uma jornada na Terra, seguem os espíritos para a Pátria Espiritual, conduzindo a bagagem dos feitos acumulados em suas existências.

Aportam no plano espiritual, nem anjos, nem demônios. São homens, almas em aprendizagem despojadas da carne. São os mesmos homens que eram antes da morte.

A desencarnação não lhes modifica hábitos nem costumes. Não lhes outorga títulos, nem conquistas. Não lhes retira méritos, nem realizações.
Cada um se apresenta após a mortcomo sempre viveu. Não ocorre nenhum milagre de transformação para aqueles que atinge o grande porto. Raros são aqueles que despertam com a consciência livre, após a inevitável travessia.
A grande maioria, vinculada de forma intensa às sensações da matéria, demora-se, infeliz, ignorando a nova realidade. Muitos agem como turistas confusos em visita a grande cidade, buscando incessantemente endereços que não conseguem localizar.

Sentem a alma visitada por aflições e remorsos, receios e ansiedades. Se refletissem um pouco perceberiam que a vida prossegue sem grandes modificações.



Os escravos do prazer prosseguem inquietos. Os servos do ódio demoram-se em aflição. Os companheiros da ilusão permanecem enganados. Os aficionados da mentira dementam-se sob imagens desordenadas. Os amigos da ignorância continuam perturbados.



Além disso, a maior parte dos seres não é capaz de perceber o apoio dispensado pelos Espíritos Superiores. Sim, porque mesmo os seres mais infelizes e voltados ao mal não são esquecidos ou abandonados pelo auxílio Divino.



Em toda parte e sem cessar, amigos espirituais amparam todos os seus irmãos, refletindo a paternal Providência Divina. Morrer, longe de ser o descansar nas mansões celestes ou expurgar sem remissão nas zonas infelizes, é, pura e simplesmente recomeçar a viver.



A morte a todos aguarda. Preparar-se para tal acontecimento é tarefa inadiável. Apenas as almas esclarecidas e experimentadas na batalha redentora serão capazes de transpor a barreira do túmulo e caminhar em liberdade.



A reencarnação é uma bendita oportunidade de evolução. A matéria em que nos encontramos imersos, por hora, é abençoado campo de luta e de aprimoramento pessoal. Cada dia que dispomos na carne é nova chance de recomeço.



Tal benefício deve ser aproveitado para aquisição dos verdadeiros valores que resistem à própria morte. Na contabilidade Divina a soma de ações nobres anula a coletânea equivalente de atos indignos.



Todo amor dedicado ao próximo, em serviço educativo à humanidade, é degrau de ascensão.



Quando o véu da morte fechar os nossos olhos nesta existência, continuaremos vivendo em outro plano e em condições diversas. Estaremos, no entanto, imbuídos dos mesmos defeitos e das mesmas qualidades que nos movimentavam antes do transe da morte.



A adaptação a essa nova realidade dependerá da forma como nos tivermos preparado para ela. Semeamos a partir de hoje a colheitas de venturas, ou de desdita, do amanhã.



Mensagem psicografada por Divaldo Pereira Franco Pelo Espírito de Otília Gonçalves.













sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

LOUVOR DO NATAL. É por isso que, emocionados, recordando-te a manjedoura



 Jesus!
Quando vieste ao mundo, numerosos conquistadores haviam passado, cimentando reinos de pedra com sangue e lágrimas.
Na retaguarda dos carros de ouro e púrpura com que lhes fulgia as vitórias, alastravam-se, como rastros da morte, a degradação e a pilhagem, a maldição do solo envilecido e o choro das vítimas indefesas.
Levantaram-se, poderosos, em palácios fortificados e faziam leis de baraço e cutelo, para serem, logo após, esquecidos no rol dos carrascos da Humanidade.
Entretanto, Senhor, nasceste nas palhas e permaneceste lembrado para sempre.
Ninguém sabe até hoje quais tenham sido os tratadores de animais que te ofertaram esburacada manta, por leito simples, e ignora-se quem foi o benfeitor que te arrancou ao desconforto da estrebaria para o clima do lar.
Cresceste sem nada pedir que não fosse o culto à verdadeira fraternidade.
Escolheste vilarejos anônimos para a moldura de tua palavra sublime...Buscaste para companheiros de tua obra homens rudes, cujas mãos calejadas não lhes favoreciam os vôos do pensamento. E conversaste com a multidão, sem propaganda condicionada.
No entanto, ninguém conhece o nome das crianças que te pousaram nos joelhos amigos, nem das mãos fatigadas a quem te dirigiste na via pública!

A História, que homenageava Júlio César, discutia Horácio, enaltecia Tibério, comentava Virgílio e admirava Mecenas, não te quis conhecer em pessoa, ao lado de tua revelação, mas o povo te guardou a presença divina e as personagens de tua epopéia chamam-se "o cego Bartimeu", "o homem de mão mirrada", "o servo do centurião", "o mancebo rico", a "mulher Cananéia", "o gago de Decápolis", "a sogra de Pedro", "Lázaro, o irmão de Marta e Maria".
Ainda assim, Senhor, sem finanças e sem cobertura política, sem assessores e sem armas, venceste os séculos e estás diante de nós, tão vivo hoje quanto ontem, chamando-nos o espírito ao amor e à humildade que exemplificaste, para que surjam, na Terra, sem dissensão e sem violência, o trabalho e a riqueza, a tranquilidade e a alegria, com bênção de todos.
É por isso que, emocionados, recordando-te a manjedoura, repetimos em prece:
- Salve, Cristo! Os que aspiram a conquistar desde agora, em si mesmos, a luz de teu reino e a força de tua paz, te glorificam e te saúdam!...

Emmanuel(Do livro Antologia Mediúnica do Natal, Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos)



sábado, 17 de dezembro de 2011

Os medicamentos respondem somente por vinte por cento do tratamento. Os outros oitenta por cento dependem do atendimento caloroso e humanizado que os médicos oferecem ao paciente.






Quem visse aquele homem adquirindo tantos brinquedos, logo pensaria: Nossa! Ele deve ter muitos filhos e sobrinhos.


Contudo, o cardiologista do Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro, não tem filhos.


Há mais de uma década, ele repete o mesmo ritual. Ao longo do ano, vai comprando centenas de brinquedos e os estoca num dos quartos do seu apartamento, em Copacabana. São bolas, petecas, carrinhos e bonecas.


Na semana que antecede o Natal, ele retira todos os brinquedos do quarto, separa-os por sexo e faixa etária e os coloca em grandes sacos vermelhos.


Então, com a ajuda de enfermeiras e residentes do hospital, ele distribui os presentes entre as crianças internadas.


Não custa nada você tirar alguns dias do ano para distribuir alegria e calor humano entre os pacientes de um hospital, comenta ele.


Naturalmente, dedicando-se a promover essas alegrias, há treze anos, ele tem histórias muito interessantes para contar.


Histórias de vidas enriquecidas por seus gestos de desprendimento e dedicação, além do dever.


Em uma de suas entregas, por exemplo, um menino, vítima de atropelamento, ao receber a visita do médico, muito bem disfarçado, disse que tinha um sonho.


Desejava ganhar um carrinho de controle remoto. Por uma dessas coincidências que só Deus sabe e que nós costumamos dizer que sempre acontece em filmes natalinos, doutor Edy lembrou que tinha, entre tantos presentes, um carrinho de controle remoto.


A alegria da criança foi tamanha que, conta o cardiologista, se ele não estivesse engessado, teria saído pulando pela enfermaria.


Depois de tantos anos dedicados à medicina, doutor Edy se atreve a afirmar que os medicamentos respondem somente por vinte por cento do tratamento.


Os outros oitenta por cento dependem do atendimento caloroso e humanizado que os médicos oferecem ao paciente.


* * *


Um certo médico extraordinário, que andou pela Terra, há mais de dois mil anos, já recomendara o amor e a alegria como terapia de excelência para todos os seres humanos.


Alegrai-vos, recomendava. Amai-vos, como Eu vos amei.


Esse médico galileu, formado na universidade do amor, sabia que o ser humano necessita de amor e alegria.


O amor lhe sustenta a vida e não há quem dele possa prescindir.


A alegria é nota harmônica, igualmente imprescindível para a sinfonia da vida.


Por isso, espalhemos amor onde nos encontremos, sorrindo, abraçando, acolhendo os nossos amados, enquanto aprendemos a amar aos que nos cruzem o caminho.


Também sejamos portadores de alegrias a quem lida com a tragédia e a dor, todos os dias: bombeiros, policiais, médicos, enfermeiros, atendentes.


E, neste Natal, em nome de um Celeste Menino, espalhemos a alegria da nossa gratidão em suas vidas, em gratidão por nossas próprias vidas.




Redação do Momento Espírita, com base no Artigo Espírito de caridade - médico das crianças, de Gary Sledge, de Seleções Reader’s Digest, de dezembro de 2010. Redação do Momento Espírita, com base no.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Forças Mentais.A mente é um dínamo gerador de energia de difícil catalogação, que se expressa automaticamente, conforme o conteúdo emocional de que se reveste.


A mente é um dínamo gerador de energia de difícil  catalogação, que se expressa automaticamente, conforme o conteúdo emocional de que se reveste.



Exteriorização do Espírito, é interpretada  pelo cérebro que a transforma em idéia, tornando-a veículo de comunicação e de expressão variada. Força irradiante seu teor vibratório resulta dos sentimentos daquele que a emite.
Mesmo quando não conduza conscientemente, essa energia mantém sintonia com outras equivalentes, gerando efeitos que correspondem à sua constituição.
Conhecida, de alguma forma, em quase todas as épocas da humanidade, tem sido utilizada de maneiras diferentes,  quase sempre alcançando os fins para os quais se aplica.
…É o veículo de múltiplas manifestações anímicas, em razão de proceder do Espírito que a emite, qual antena que não cessa de vibrar.


Ao mesmo tempo responde pelas diversas ocorrências da telepatia, da telecinesia ou movimentação espontânea de objetos, da combustão natural, sendo um agente poderoso e ignorado que se encontra à disposição da criatura humana, que a não tem sabido orientar corretamente.


Em razão da sutileza das ondas que exterioriza, a mente intervém nas construções do mundo físico e age diretamente sobre todos os corpos, às vezes alterando-lhes a constituição.


O mesmo ocorre no que diz respeito ao intercâmbio psíquico,
atuando nas faixas semelhantes e operando efeitos que lhe correspondem ao teor vibratório.
O Universo é resultado da Mente divina que não cessa de agir positivamente.
Tudo quanto cerca o ser humano, de certo modo resulta da sua afinidade mental, sendo ele também o co-criador, graças às edificações que opera pela incessante emissão de força psíquica.

Ao mesmo tempo, essa energia é responsável por inúmeros estados de bem e mal-estar, de saúde e de doença, de alento e de desconforto.


…O intercâmbio mental é muito maior do que se pode imaginar.


Inconsciente ou de forma lúcida entre os homens e mulheres;


direcionado aos animais e plantas; entre os Espíritos, alguns dos quais o manipulam com propriedade; destes para com os outros demais seres humanos, assim também com a Fonte da Vida.


…Transtornos emocionais e de conduta, amolentamento e irascibilidade, tensão e angústia procedem, muitas vezes,
da irradiação negativa de mentes em desequilíbrio vibrando intensamente contra aqueles que as sofrem.
…Alegria, idealismo, realização dignificante, são gerados e mantidos pela mente em sintonia com a ordem universal, vitalizando quem a emite.
…Envolve-te no pensamento do bem e ora sempre, a fim de que as tuas sejam forças mentais enobrecidas.
A oração proporciona sintonia com as irradiações superiores da Mente divina, na qual mergulharás, beneficiando-te com elas.


Se te manténs inadvertido a respeito do intercâmbio psíquico e não vigias, sofrerás o efeito daninho de muitas mentes que te buscam, roubando-te vitalidade ou impondo-te suas cargas nem sempre saudáveis, que te submeterão.
Estás sempre em sintonia, queiras ou não, com as forças mentais que se movimentam no mundo.
Conforme a tua identificação emocional, externarás vibrações que se vincularão a outras de igual teor vibratório.
Não te descuides do que pensas, do que aspiras, do que falas e de como ages.
Da mente procedem todos esses passos e se não a tens disciplinada, habituada aos bons direcionamentos, sofrerás as correspondências da reciprocidade.
…És tu quem eleges a região psíquica para viver e pela qual te conduzirás na busca da realização interior.
Muitas vezes enfrentarás campos psíquicos minados por cargas viciadas e perigosas, imantadas por seres espirituais perversos
e doentios que se utilizam de outras pessoas para te alcançar e prejudicar.
Somente poderás conduzir-te nessas batalhas com os recursos morais que provém das tuas energias psíquicas.
Como não temem outros recursos, será através das tuas vigorosas emissões vibratórias que a eles escaparás.
Assim, robustece-te no autoconhecimento, aprofundando a tua capacidade de bem pensar para melhor agir, adquirindo controle
e direção segura para a tua existência terrena.
O teu pensamento é fonte viva que não podes descurar.
As tuas forças mentais devem ser cuidadas, ampliadas, aplicadas na elaboração de novas condutas para ti e para o mundo sob a inspiração de Jesus-Cristo, cuja existência na Terra foi sempre vivida em perfeita sintonia com Deus, de Quem hauria forças para o desempenho do ministério a que se entregou, e para manter o poder sobre as Entidades do mal, carregadas de energia destrutiva, que Ele muitas vezes enfrentou.



Joanna de Ângelis/Divaldo Pereira Franco

de Dias Gloriosos



Isto porque o sofrimento independe das condições externas sempre transitórias e de pouca valia.



“Assim como quereis que vos façam os homens, assim fazei vós também a eles.” (Lucas: capítulo 6º, versículo 31.)






A problemática do sofrimento humano,
na atualidade, pouco difere das velhas injunções
que vêm anatematizando o homem, e por cujo meio
o espírito expunge os equívocos e ascende a pouco
e pouco na direção do Infinito.






Enxameiam em todo lugar multidões de padecentes
experimentando amarguras sem nome, sob o guante
de inenarráveis condições de miséria orgânica,
social e moral.






Não apenas nas colossais metrópoles modernas,
em que se aglutinam milhões de criaturas,
mas também, nas pequenas cidades, nos insignificantes
burgos, nos campos…






Palácios suntuosos e choças misérrimas
diferem na paisagem arquitetônica, igualando-se
freqüentemente nas estruturas daqueles
que os habitam. Isto porque o sofrimento
independe das condições externas sempre
transitórias e de pouca valia.






As necessidades reais, que engendram a dita
como o infortúnio, sempre decorrem do espírito.






Por essa razão, sem descuidar dos auxílios
ao corpo e ao grupo humano com o indispensável
sustento imediato para a vida honrada em condição
de dignidade, o convite ao bem nos impele
à iluminação da consciência, sobretudo,
de modo a erradicar as questões constringentes
que fomentam a miséria e os desajustes de toda ordem.






Esparze misericórdia pela estrada por onde segues,
estendendo o socorro geral, simultaneamente
esclarece e consola para que a semente do bem
que consigas plantar numa vida se transforme
em gleba feliz pelo tempo futuro a fora.




Joanna de Ângelis/Divaldo P Franco

do Livro Convites da Vida



sábado, 3 de dezembro de 2011

No reino das borboletas



À beira de um charco, formosa borboleta, fulgurando ao crepúsculo, pousou sobre um ninho de larvas e falou para as pequenas lagartas, confusas:

Não temam! Sou sua irmã de raça!
Venho para lhes trazer esperança. Nem sempre permanecerão coladas às ervas do pântano! Tenham calma, fortaleza e paciência.
Esforcem-se para não sucumbir aos golpes da ventania que, de quando em quando, varre a paisagem.
Esperem! Depois do sono que as aguarda, todas acordarão com asas de puro veludo, refletindo o esplendor solar...
Então, não mais se arrastarão, presas ao solo úmido e triste. Adquirirão preciosa visão da vida, pois poderão subir muito alto e seu alimento será o néctar das flores...
Viajarão deslumbradas, contemplando o mundo, sob novo prisma!
Observarão o sapo que nos persegue, castigado pela serpente que o destrói, e verão a serpente que fascina o sapo, fustigada pelas armas do homem.
Enquanto a mensageira fez ligeira pausa, ouviam-se exclamações admiradas:
Ah, não posso crer no que vejo!
Que misteriosa criatura!
Será uma fada milagrosa?
Nada possui de comum conosco...
Irradiando o suave aroma do jardim de onde viera, a linda visitante sorriu e continuou:
Não se iludam! Não sou uma fada celeste! Minhas asas são parte integrante da nova forma que a natureza lhes reserva.
Ontem, eu vivia com vocês; amanhã viverão comigo! Flutuarão no imenso espaço, em voos sublimes em plena luz. Libertas do lodaçal, se elevarão felizes.
Conhecerão a beleza das copas floridas e o saboroso néctar das pétalas perfumadas. Contemplarão a altura e a amplitude do firmamento...
Logo após, lançando carinhoso olhar à família alvoroçada, distendeu as asas coloridas e, voando com graciosidade, desapareceu no infinito azul.
Nisso, chegou ao ninho a lagarta mais velha do grupo, que estava ausente, e, ouvindo os comentários empolgados das companheiras mais jovens, ordenou irritada:


Calem-se e escutem! Tudo isso é insensatez, mentiras, divagações...


Não nos iludamos! Nunca teremos asas! Ninguém deve filosofar...
Somos lagartas, nada mais que lagartas. Sejamos práticas, no imediatismo da própria vida. Esqueçam-se de pretensos seres alados que não existem.
Precisamos simplesmente comer e comer... Depois vem o sono, a morte... E o nada... Nada mais...
As lagartas calaram-se, desencantadas.
Caiu a noite e, em meio à sombra, a lagarta-chefe adormeceu, sem despertar no outro dia. Estava completamente imóvel.
As irmãs, preocupadas, observavam curiosas o fenômeno...
Depois de algum tempo, para espanto de todas, a ignorante e descrente orientadora surgiu como veludosa borboleta, de asas leves e ligeiras, a bailar no ar...


* * *
À semelhança da formosa borboleta que desceu às faixas escuras onde rastejavam suas irmãs lagartas, um dia a Humanidade também recebeu a visita de sublime anjo, que veio trazer consolo e esperança.
Falou da vida estuante, além do casulo físico.
E para provar que o que dizia é realidade, Ele próprio, após desvencilhar-se do corpo físico, surgiu mais livre e mais brilhante que antes.
Subiu, com a leveza de anjo alado, e desapareceu na imensidão azul, diante de quinhentas testemunhas, admiradas, na distante Galiléia...
E, mais de dois milênios depois, ainda existem aqueles que preferem acreditar que o que precisamos fazer é comer, comer, dormir e esperar o nada... Nada mais...



 Do livro Contos e apólogos, pelo Espírito Irmão X, psicografia de
Francisco Cândido Xavier,
Redação do Momento Espírita, com base no cap. 29.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Permita-se ser imperfeita . . .Martha Medeiros



(Texto na Revista do Jornal O Globo)



'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros..
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.

Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.

Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias..


Cinco dias!
Tempo para uma massagem..
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.

Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!


Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.



Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'


Martha Medeiros - Jornalista e escritora






A TODAS AS MULHERES MARAVILHOSAS QUE TRABALHAM, QUE BATALHAM, QUE LUTAM PARA SER FELIZ!








































Ajuda-me a olhar?


Diego não conhecia o mar.
O pai, Santiago Kovadloff, resolveu levá-lo para que conhecesse o mar gigantesco.
Viajaram para o sul. O oceano estava do outro lado dos bancos de areia, esperando.
Quando o menino e o pai alcançaram aquelas alturas de areia, depois de muito caminhar, o mar apareceu na frente de seus olhos.
Foi tanta a imensidão do mar, tanto seu fulgor, que o menino ficou mudo com tamanha beleza.
E, quando finalmente conseguiu falar, tremendo, gaguejando, pediu ao pai:


“Pai, me ajuda a olhar?”


* * *
Nós, pais, estamos no mundo para ajudar nossos filhos a olhar.
Por trás desse me ajuda a olhar, de menino inocente e admirado, estão as grandes questões da educação no lar.
A pergunta do filho poderia ser entendida como: Pai, me ajuda a perceber todas as belezas, as nuances, tudo que ainda não consigo perceber? ajuda-me a saber admirar as coisas importantes da vida, você que já viveu tanto e tem tanta bagagem de mundo, tanta experiência?
Ajuda-me a compreender a existência, seus desafios, seus objetivos maiores?
Ajuda-me a não temer os problemas, a aprender com eles, toda vez que resolverem aparecer?
Ajuda-me a caminhar? Sem precisar caminhar por mim, pois tenho que descobrir meus próprios passos, mas, nos primeiros, principalmente, você fica ao meu lado?
E quando eu cair, você vai estar lá? Pois muitas coisas neste mundo me assustam, e preciso de uma segurança, de um lar para onde eu possa voltar.

Ajuda-me a olhar para dentro de mim, pai?
Preciso me conhecer para me amar, para me perdoar e não deixar que a culpa me faça menor.
Ajuda-me a olhar para dentro de mim?
A descobrir minhas potencialidades, minhas habilidades, o que tenho de bom?
Pois se você, pai, disser: “Você pode, meu filho. Você tem capacidade você é inteligente...” Aí sim, vou acreditar.
E, se nessa busca eu encontrar algo que não goste, não suporte, você me ajuda a eu não desistir de mim mesmo?
Por isso preciso de você aqui, ao meu lado, me ensinando a olhar o mundo e a mim com olhos de quem quer a paz e não mais a discórdia, a violência.
Por isso preciso que me ensine a olhar, que me ensine a escolher para que, um dia, quando meus olhos estiverem vendo o oceano, da altura dos seus... eu então possa dizer ao meu filho:
“Vou lhe ensinar a olhar, meu filho, não se preocupe. Segure firme em minhas mãos e vamos olhar o mundo juntos... Sempre juntos.”


* * *
Allan Kardec, codificador da Doutrina Espírita, em O livro dos Espíritos assevera:
Os Espíritos apenas entram navida corporal para se aperfeiçoar e melhorar.
A fraqueza da idade infantil ostorna flexíveis, acessíveis aos conselhos da experiência e dos que devemfazê-los progredir.
É então que podem reformar seu caráter e reprimir suasmás tendências. Este é o dever que Deus confiou a seus pais, missãosagrada pela qual terão de responder.

Trecho de O livro dos abraços, de Eduardo Galeano, Redação do Momento Espírita .

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Que posso desejar para você hoje?


Que as verdadeiras amizades continuem.

Que as lágrimas sejam poucas, e compartilhadas.
Que as alegrias estejam sempre presentes e sejam festejadas por todos.
Que o carinho esteja presente em um simples olá, ou em qualquer outra frase mesmo que digitada rapidamente.
Que os corações estejam sempre abertos para novas amizades, novos amores, novas conquistas.
Que Deus esteja sempre com sua mão estendida apontando o caminho correto.
Que as coisas pequenas como a inveja ou desamor, sejam retiradas de nossa vida.
Que aquele que necessite de ajuda encontre sempre em nós uma animadora palavra amiga.
Que a verdade sempre esteja acima de tudo.
Que o perdão e a compreensão superem as amarguras e as desavenças.
Que este nosso pequeno mundo virtual seja cada vez mais humano.
Que tudo que sonhamos se transforme em realidade.

Que o amor pelo próximo seja nossa meta absoluta.
Que nossa jornada de hoje esteja repleta de flores.
Que a Felicidade momentânea da Vingança, ceda espaço para a Felicidade eterna do Perdão.
Neste dia mais que nunca, desejo para você tudo o que há de melhor no Universo, e que seus sonhos sejam todos realizados.


Seja muito Feliz!!!


Linda mensagem nos enviado pelo amigo e irmão Sandro Santos, SAP RS.

sábado, 26 de novembro de 2011

Tenhamos Fé



“... vou preparar-vos lugar.” — Jesus (João, capítulo 14, versículo 2)


Sabia o Mestre que, até à construção do Reino Divino na Terra, quantos o acompanhassem viveriam na condição de desajustados, trabalhando no progresso de todas as criaturas, todavia, “sem lugar” adequado aos sublimes ideais que entesouram.

Efetivamente, o cristão leal, em toda parte, raramente recebe o respeito que lhe é devido:
Por destoar, quase sempre, da coletividade, ainda não completamente cristianizada, sofre a descaridosa opinião de muitos.
Se exercita a humildade, é tido à conta de covarde.
Se adota a vida simples, é acusado pelo delito de relaxamento.
Se busca ser bondoso, é categorizado por tolo.
Se administra dignamente, é julgado orgulhoso.
Se obedece quanto é justo, é considerado servil.
Se usa a tolerância, é visto por incompetente.
Se mobiliza a energia, é conhecido por cruel.
Se trabalha, devotado, é interpretado por vaidoso.
Se procura melhorar-se, assumindo responsabilidades no esforço intensivo das boas obras ou das preleções consoladoras, é indicado por fingido.
Se tenta ajudar ao próximo, abeirando-se da multidão, com os seus gestos de bondade espontânea, muitas vezes é tachado de personalista e oportunista, atento aos interesses próprios.
Apesar de semelhantes conflitos, porém, prossigamos agindo e servindo, em nome do Senhor.
Reconhecendo que o domicílio de seus seguidores não se ergue sobre o chão do mundo, prometeu Jesus que lhes prepararia lugar na vida mais alta.
Continuemos, pois, trabalhando com duplicado fervor na sementeira do bem, à maneira de servidores provisoriamente distanciados do verdadeiro lar.


“Há muitas moradas na Casa do Pai.”
E o Cristo segue servindo, adiante de nós.
Tenhamos fé.

Emmanuel,

Livro ‘Fonte Viva’, 44, Chico Xavier, FEB
-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_

“Conserve a própria fé por tal modo que você não possa se afligir excessivamente em nenhuma dificuldade.” - André Luiz

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.


Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus pela oportunidade da experiência.
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei, posso gastar os minutos a me lamentar ou ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser vivido da maneira que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma às ideias e utilidade às horas. Tudo depende só de mim.
Nesta mensagem atribuída ao saudoso Charlie Chaplin, astro de Hollywood, que encantou o mundo no tempo do cinema mudo, encontramos motivos de reflexões.
Sem dúvida, a vida é feita de escolhas...
O tempo todo estamos fazendo escolhas, elegendo o que fazer e o
que não fazer, o que pensar e o que não pensar, em que acreditar e em que não acreditar.
A vida está sempre a nos apresentar opções. E as escolhas dependem exclusivamente de nós mesmos.
Não há constrangimento algum. Somos senhores absolutos da nossa vontade, no que diz respeito às questões morais.
Se é verdade que às vezes somos arrastados pelas circunstâncias, é porque optamos anteriormente por entrar nesse contexto.
Assim, antes de optar por qualquer das opções que a vida nos oferece, é importante pensar nas consequências que virão em seguida.
Importante lembrar que não estamos no mundo em regime de exceção. Todos estamos na Terra para aprender. E as lições muitas vezes são mais simples do que pensamos.
Não imaginemos que as coisas e circunstâncias desagradáveis só acontecem para nos atingir. Elas fazem parte do contexto em que nos movimentamos junto a milhares de pessoas que vivem na Terra conosco.






* * *






Olhe, em seu jardim, as flores que se abrem e nunca as pétalas caídas.
Contemple, em sua noite, o fulgor das estrelas e nunca o chão escuro.
Observe, em seu caminho, a distância já percorrida e nunca a que ainda falta vencer.
Retenha, em sua memória, risos e canções e nunca os seus gemidos.
Conserve, em seu rosto, as linhas do sorriso e nunca os sinais da mágoa.
Guarde, em seus lábios, as mensagens bondosas e esqueça as maldições.
Conte e mostre as medalhas de suas vitórias e encare as derrotas como uma experiência que não deu certo.
Lembre-se dos momentos alegres de sua vida e não das tristezas.
A flor que desabrocha é bem mais importante do que mil pétalas
caídas.
E um só olhar de amor pode levar consigo calor para aquecer muitos invernos.
Seja otimista e não se esqueça de que é nas noites sem luar que brilham mais forte nossas estrelas.

 Charlie Chaplin
Momento Espírita, com base em texto



domingo, 6 de novembro de 2011

Texto Produzido por Jovens na XXIV CONJERGS na Oficina A VONTADE E A FÉ NA TRANSFORMAÇÃO INDIVIDUAL.


Atualmente os indivíduos preferem seguir a mídia, as tendências, para não ficarem atrás no mundo estigmatizado pela sociedade.



Porém, nós com condutas espíritas, seguimos a vida como um trem a lenha, que precisa da chama para sair do lugar.


E no nosso caso, a chama é os princípios da doutrina espírita. A família nos move, pelo exemplo e respeito e a causa que pode se dizer principal a vontade de evoluir na vida e como espírito.


Nos momentos de insegurança nada melhor que a prece para nos fortificarmos. A evolução precisa de espírito e mente unificados para tornarmo-nos fortes e confiantes. A confiança é um sentimento que fica dentro de nós.


Basta descobrir como usa-la.


“Servir a Doutrina Espírita é diferente do que se servir da Doutrina Espírita”.


O poder de decisão de cada individuo designará o qual rumo tomar. Exemplificando, a nossa vida é um corredor cheio de portas “fechadas”, onde temos o livre-arbítrio para entrar em qualquer porta, porém temos responsabilidade pelo que ocorrerá dali para frente.


O amor é o sentimento mais exato para passar cuidado aos outros. “Amai ao próximo como a si mesmo”, já dizia um Grande Homem; o cuidado que possuímos e queremos para nós deve ser transportado pelo AMOR ao próximo, pois não há em nosso plano terreno, nada mais puro que o sentimento amar.

Isis da Costa (Guaíba) Katiane Gomes (Caxias do Sul)


terça-feira, 1 de novembro de 2011

CERTEZAS





Não quero alguém que morra de amor por mim...
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...
E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...
E não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ela é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!


Mario Quintana

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Ilusão é achar que todos irão pensar como você, que todos o apoiarão e endossarão tudo que voce disser.


Ilusão é achar que todos irão pensar como você, que todos o apoiarão e endossarão tudo que você
disser, e achar que sempre está certo em suas convicções, e o mundo errado.
Ilusão é ver uma coisa e enxergar outra que só você enxergou; mais ninguém, e mesmo assim acreditar que foi você que viu direito.
Ilusão é também um derivado do orgulho, o orgulhoso se ilude muito, o tempo todo.
Acredite; o mundo não está contra você, as pessoas não estão contra você, elas apenas pensam diferente, e assim, agem diferente, cada um em sua verdade e em seu tempo.
Parar de se iludir é aceitar que as pessoas vêem as coisas por ângulos diferentes, e que não estão erradas. Parar de se iludir é aceitar as diferenças dos outros assim como eles aceitam as suas. Para o outro você também é um desafio.
O mundo vive em constante evolução, então você também deve evoluir; não se apegue tanto em falsas convicções para não parecer volúvel, pode ter certeza, com o tempo a visão muda e assim a opinião também, ontem o que eu via vermelho cereja, hoje eu enxergo rosa, e nem por isso eu estava errado ontem, é que ontem a luz era diferente.
Não se iluda; tudo é transitório, inclusive nossas opiniões.

Michelle Desiree

Sabemos Senhor, Que de nós mesmos, somente possuímos a inferioridade de que nós mesmos devemos desvencilhar.

 
“Senhor Jesus,

Dá-nos o poder de operar a própria conversão,
Para que o teu Reino de Amor seja irradiado
Do centro de nós mesmos!
Contigo em nós converteremos:

A treva em claridade
A dor em alegria
O ódio em amor
A descrença em fé viva
A dúvida em certeza
A maldade em bondade
A ignorância em compreensão e sabedoria
A dureza em ternura
O egoísmo em cântico fraterno
O orgulho em humildade
O torvo mal em infinito bem

Sabemos Senhor,
Que de nós mesmos
Somente possuímos a inferioridade
De que nós mesmos devemos desvencilhar


Mas, unidos em Ti,
Somos galhos frutíferos na árvore dos séculos.


Que as tempestades das experiências jamais deceparão!!!


Assim, pois, Mestre Amoroso,

não Te digna amparar-nos a fim de que nos elevemos ao encontro de tuas mãos sábias e compassivas.
Que nos erguerão da inutilidade
Para o serviço da Cooperação Divina,
Agora e para sempre, Assim seja’’.

BEZERRA DE MENEZES

DO LIVRO VOLTEI, DE IRMÃO JACOB
Psicografado por Francisco Candido Xavier

sábado, 22 de outubro de 2011

TRABALHEMOS

Emmanuel

Perguntas, muitas vezes se podes colaborar, junto à bandeira de amor e luz que a Espiritualidade Maior vem desfraldando na Terra.

Estimarias movimentar poderes mediúnicos incontestes, materializando forças sutis, alongando consolações, traçando o verbo revelador.

Não necessitas, no entanto, recorrer a esse ou aquele luminar da sabedoria a obtenção da reposta.

Basta breve consulta ao livro da natureza.

Sabes que a semente é sustentável de fazer florir o deserto, desde que lhe ofereças base justa no solo e que a fonte é capaz de dessedentar-te na intimidade domésticas, se lhe dás condução no canal preciso.

A semente contudo, morre sem remissão se relegada de todo à cova de areia quente e a fonte, por mais generosa, não te alcança o reduto familiar, quando se lhe entrava o caminho.

Toda realização pede esforço.

Todo merecimento real inclui sacrifício.

Muitos, porém, almejam auxiliar exigindo que a evolução se transforme numa avenida asfaltada em que possam deslizar da patins. Desejam fazer clarinada na hora do meio dia, melhorar o prato feito, subir em elevadores rápidos para emitirem exortações de sacadas ou ditar bons conselhos à cabeça dos anjos.

Entretanto, embora imperfeitos, é indispensável empreendamos a cura de nossas próprias imperfeições.

Se aspiras o bem para sanar os males da Terra, é natural que a Esfera superior se esmere em proclamá-lo.

Se procurar o Senhor, buscando ajudar a vida, o Senhor também te procura a fim de ajudá-la.

Desse modo, o Mestre Divino espera-te, na luta, por instrumento que possa atender-lhe à Obra.

Purifiquemos a emoção a fim de senti-lo.

Sublimemos o pensamento para entendê-lo.

Eduquemos a palavra, de modo a dizer-lhe o verbo.

Aprimoremos a ação para exprimir-lhe a presença.

Aperfeiçoemos a nós mesmos, cada dia, quanto seja possível, porquanto para sermos intermediários fiéis entre ele e o Mundo, só existe uma solução

– Trabalhar.


Psicografada por Francisco Cândido Xavier